“Já ganhamos muito bem”, diz vereador que votou contra reajuste do próprio salário
18/12/2019 Redator: Assessoria
A votação do Reajuste Geral Anual (RGA) dos salários dos vereadores, prefeita e vice aconteceu na tarde desta terça-feira (17). O executivo levou em consideração o Índice Preço ao Consumidor IPC deste ano (3,27%) para calcular o reajuste do primeiro e segundo escalão. 

Adenilson Rocha votou contrário ao RGA dos vereadores, prefeita e vice. “Ganhamos muito bem, então não vejo a necessidade de fazer o reajuste geral anual dos nossos salários. Existe o entendimento que está na lei e é obrigatório passar este reajuste, mas eu penso o contrário, pois se é obrigatório não precisaria passar pela votação da casa. Meu voto foi contrário por entender que não é necessário reajuste de salário para cargos eletivos como prefeita, vice e vereadores”, comentou Adenilson.

Atualmente cada um dos 15 vereadores de Sinop recebem salário de R$ 9.976,44 e a partir de 2020 passam a receber R$ 10.302,66 mais a verba indenizatória de R$ 7.049,00.

Rocha também votou contrário ao valor do subsídio para a próxima legislatura 2021/2024 o salário de prefeito de Sinop será de R$ 25,6 mil. O vice-prefeito recebe metade desse valor R$12,8 mil. Já os secretários municipais terão um vencimento mensal de R$ 12,3 mil. Com o reajuste, os vereadores da legislatura 2021-2024 deverão receber um salário de R$ 10.649,92. O presidente da Câmara terá um salário diferenciado e chega a R$ 13.312,40. A verba indenizatória a partir de 2021 deve chegar à casa dos R$ 7,5 mil, ou seja, R$ 18.149,92 na conta do vereadores.

O vereador disse que os salários deveriam ser congelados por 10 anos. “Precisamos mudar este conceito de reajuste anual e congelar os salários dos vereadores, prefeito e vice por pelo menos 10 anos. Precisamos de saúde pública de qualidade, mais vagas em creches, asfalto para acabar com a lama e poeira. As custas deste reajuste quem paga é a população sinopense”, finalizou Rocha.